HOMEM E PRESO APÓS TORTURAR E MANTER PARCEIRA EM CÁRCERE PRIVADO EM PIRENÓPOLIS

julho 24, 2017
2 Shares 128 Views Fonte: MAIS GOIÁS
Foto:

O suspeito chegou a divulgar fotos e áudios com detalhes do crime para conhecidos da vítima.

Homem é preso após torturar e manter parceira em cárcere privado em Pirenópolis
Suspeito relatou ter utilizado um facão e pimenta para torturar a companheira

Um homem de 31 anos foi detido após ser denunciado por torturar e manter a própria parceira em cárcere privado, em Pirenópolis. O suspeito chegou a divulgar fotos e áudios com detalhes do crime para conhecidos da vítima.

Segundo a Polícia Civil, o caso começou na última quarta-feira (19), quando agentes receberam a denúncia anônima de que uma mulher de 39 anos estaria sendo torturada por seu companheiro e impedida de sair de casa na Vila Cintra, em Pirenópolis. Quando os policiais verificavam a procedência das informações, receberam outra denúncia sobre o mesmo caso, vinda da Polícia Civil do Distrito Federal, com fotos da vítima lesionada e o endereço de onde o crime estaria acontecendo.

Com base nas informações levantadas, policiais civis se deslocaram ao local indicado, mas descobriram que o suspeito já havia fugido, levando a vítima com ele. O delegado Ariel Martins, então, solicitou a presença de peritos do Núcleo Regional da Polícia Técnico-Científica de Anápolis, que identificaram várias substâncias, como sangue e droga, espalhadas pela casa.

“Ainda na quarta-feira, por volta de 20 horas, mesmo encerrado o expediente da delegacia, recebemos uma ligação da própria vítima, que inclusive fui eu quem atendi”, relata o delegado. “Ela dizia que tudo estava bem e ainda questionava por que a polícia havia entrado em sua casa. Eu não a conhecia e não sabia se aquela voz era dela mesma, mas se caso fosse, também não sabia se ela estava sendo obrigada a tanto”, complementou Ariel, que pediu à mulher que comparecesse à delegacia para esclarecer o caso.

LEIA:  Gleisi Hoffmann convoca militância do PT contra Moro

Na quinta-feira, o delegado então passou a monitorar os passos do autor e descobriu que ele e a vítima se encontravam nas redondezas da Vila Jaiara em Anápolis. Porém, ele ainda não tinha a localização exata. Posteriormente, descobriu-se que o autor tinha um irmão que morava naquela região.

Após a Polícia Civil informar a Justiça sobre situação apurada, o Poder Judiciário, com parecer favorável do Ministério Público, decretou rapidamente a prisão preventiva do autor. A empresa Facebook foi contatada e passou informações relevantes da conta de ambos.

Conforme os agentes, mesmo sabendo que estava sendo investigado, o autor continuava a enviar áudios e fotos da vítima para conhecidos dela.

O próprio autor divulgou imagens da vítima e áudios relatando as torturas para conhecidos dela

Prisão

Na madrugada de sexta (21) para sábado (22), os policiais obtiveram a confirmação de que o autor teria levado a vítima para casa do irmão dele. O Grupo Tático 3, grupo de elite da Polícia Civil, foi acionado e em menos de uma hora já havia se deslocado de Goiânia para Anápolis. Em seguida, prenderam o autor e resgataram a vítima.

Os bombeiros foram acionados e encaminharam a mulher para um hospital. Posteriormente, ela passou por exames periciais das lesões no Instituto Médico Legal (IML) de Anápolis. Ao que tudo indica ela sofreu uma perfuração nas nádegas aparentemente ocasionada por uma faca (ou objeto semelhante) e apresentava diversos hematomas que teriam sido provocados por golpes com a lateral da lâmina de um facão.

Na delegacia, o irmão do autor e sua companheira disseram que não desconfiaram das agressões, pois trabalham muito e não ficavam em casa na maior parte do tempo. Segundo o irmão, o suspeito ligava o som e mantinha a vítima dentro do quarto.

LEIA:  Jovem é morto a tiros em Aragarças

Em um dos áudios supostamente enviados pelo autor através do aplicativo WhatsApp, ele relatava seus métodos de tortura: “Ela já tomou banho… Tá quietinha… Só quebrei um facão nas costas dela, pus pimenta [nas partes íntimas dela] e tudo. Dei uma sossegada boa nela, mas assim já tá de boa. Tomou banho, nós já tamos conversando já. Tá de boa”.

De acordo com a vítima, as agressões aconteceram porque o homem queria que ela confessasse uma suposta traição. Em razão das agressões, ela acabou confessando, mas sem ter, de fato, cometido a traição. A confissão, porém, motivou o autor a gravar áudios e tirar fotos das lesões da vítima, encaminhando esse conteúdo para conhecidos dela em Brasília, chamando-a de palavras de baixo calão.

Segundo a vítima, os planos do autor eram de comparecer nesta segunda-feira (24) com ela na delegacia e dizer que estava tudo bem. A vítima também afirmou que teve oportunidade e pensou em matá-lo, mas com receio de eventuais consequências disso, desistiu.

A vítima já havia registrado em 2016 uma ocorrência na Polícia Civil do Distrito Federal por conta de ameaça e agressões leves do autor, ocorridas em Pirenópolis. Contudo, ele teria feito a vítima desistir de prosseguir com aquela denúncia.

A partir de agora a Polícia Civil tem o prazo de 10 dias para finalizar as peças do Inquérito Policial e enviá-lo à Justiça.

Fonte: Mais Goiás

TALVEZ VOCÊ POSSA SE INTERESSAR POR

Brasil
0 shares3 views

PGR defende liberdade de ex-assessor do deputado Lúcio Vieira Lima

Redação - nov 24, 2017

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) parecer a favor da concessão de liberdade a…

PGR pede condenação de Gleisi e Paulo Bernardo na Lava Jato
Brasil
0 shares4 views
Brasil
0 shares4 views

PGR pede condenação de Gleisi e Paulo Bernardo na Lava Jato

Redação - nov 24, 2017

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu hoje (24) ao Supremo Tribunal Federal (STF) a condenação da senadora Gleisi Hoffmann…

Justiça do DF revoga autorização para deputado preso trabalhar na Câmara
Brasil
0 shares5 views
Brasil
0 shares5 views

Justiça do DF revoga autorização para deputado preso trabalhar na Câmara

Redação - nov 24, 2017

Para os desembargadores, Celso Jacob não tem os resquisitos par o benefícioArquivo/Alex Ferreira/Câmara dos DeputadosA 3ª Turma Criminal do Tribunal…

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz